Veja seu imóvel com olhos de investidor

Na hora de escolher seu imóvel, é necessário ficar atento a alguns pontos para não se deixar levar pelo emocional e acabar perdendo dinheiro.

A compra de um imóvel próprio, além da realização de um sonho, também deve ser visto como um investimento. É um bem a longo prazo, por isso, é necessário que você veja seu negócio com olhos de investidor.

Antes de comprar sua casa ou apartamento, é preciso pensar como um investidor. Saber como anda o mercado imobiliário e o financeiro é praticamente uma obrigação, por que só assim é que você conseguirá definir se é ou não uma boa escolha adquirir um determinado imóvel.

Agir pelo emocional e por impulso não é ver o seu negócio com olhos de investidor. Muito pelo contrário, agir por impulso pode fazer com que você deixe de analisar outras propostas e perca dinheiro.

Pesquise com calma, visite os imóveis quantas vezes for necessário, descanse, pense bem e no outro dia tome sua decisão. As chances de fazer uma boa escolha quando se tem tempo é muito melhor. Sua tomada de decisão será muito mais assertiva.

Nem sempre o que é bom para grande maioria é de fato o melhor para você. Saiba identificar sua necessidades e tome suas decisões a partir disso. Não deixe se levar pelo o que estão querendo que você faça. Ver seu imóvel com olhos de investidor é tomar suas próprias decisões, mesmo que elas saiam de um senso comum.

Quando não entendemos do que estamos buscando, é muito comum cairmos no engano de escolher só pela aparência e não pensar em todos os pontos importantes que devem ser considerados no imóvel, como por exemplo, a localização, estado de conservação do imóvel e as formas de financiamento.

Ficar atento a todos estes detalhes pode ser trabalhoso, mas evita que lá na frente você perceba que não fez uma boa escolha.

Ver seu negócio com olhos de investidor é ir a fundo, entender sobre o nicho, pesquisar e pedir ajuda quando necessário. É conhecer o mercado e ver um real valor financeiro e na sua escolha.

Fonte: G1

Saiba como alugar um imóvel sem fiador

Durante anos, era constrangedor pedir para alguém se responsabilizar por uma dívida, pois era impossível conseguir um aluguel sem fiador. Agora existem outras formas de garantias que permitem alugar sem fiador.

Abordaremos os tipos de seguros para a locação e os seus benefícios para as partes de um acordo de aluguel.

Como é feito o contrato de aluguel?

Uma mudança favorável para os contratos de aluguel foi apresentada pelo artigo 37, da lei 8.245/91. Nesse dispositivo, foram elencadas outras modalidades de garantia além do tradicional avalista.

Sendo assim, a legislação permite que o proprietário escolha entre as opções existentes que asseguram o pagamento do aluguel diante de uma possível inadimplência do locatário. Em alguns casos, especialmente se o imóvel é administrado por uma imobiliária, cabe ao inquilino escolher entre as garantias apresentadas pela empresa.

Que tipos seguros existem?

Para encontrar a melhor solução de garantia para você, é necessário conhecer cada uma delas.

  • Caução/ Poupança Locatícia

O seguro caução é bem conhecido no mundo do aluguel. Nessa modalidade, o proprietário combina com o locatário um valor que será depositado em uma conta. O objetivo é utilizar essa quantia para cobrir a falta de pagamento das mensalidades.

Caso não haja necessidade de dispor desse capital, no final do contrato, o inquilino receberá de volta o dinheiro com juros e correções. No entanto, em alguns casos, essa forma de garantia dificulta a celebração do acordo por causa do alto valor.

Por exemplo, digamos que o custo de uma locação seja dois mil reais. Normalmente, a quantia exigida de caução é três vezes o valor do aluguel, portanto, nesse caso, seriam seis mil reais. Talvez seja difícil ter todo esse valor disponível para depósito. Mesmo assim, o seguro caução é uma das formas de garantia mais utilizadas no mercado.

  • Seguro fiança

Uma segunda alternativa para alugar sem fiador é o seguro fiança. Essa garantia é considerada por muitos como a mais segura, por isso encontra-se mais disponível em vários contratos de aluguel. Além disso, confere maior liberdade e flexibilidade para o proprietário e o locatário.

Funciona assim: as partes escolhem uma seguradora e contratam um dos seus pacotes de garantia. Existem produtos que cobrem não só as mensalidades, como também débitos de IPTU, danos ao imóvel, taxas de condomínio etc.

Embora não exista a devolução do dinheiro no final do contrato, o inquilino fica tranquilo em uma eventual crise financeira. Anualmente, essa proteção pode ser renovada. Ademais, o valor total da apólice tem a disponibilidade de parcelamento ou pagamento à vista com desconto. É claro que o custo da garantia varia de uma seguradora para outra, mas, no geral, fica em torno de uma a duas vezes e meia a mensalidade da locação.

  • Títulos de capitalização

Os títulos de capitalização são uma opção bem interessante, inclusive para substituir o seguro caução. Essa afirmação vem da similaridade entre as duas modalidades, pois ambas exigem o depósito de um valor previamente estipulado.

Porém, o que torna o título de capitalização mais atraente é a possibilidade de ganhar prêmios durante a vigência do contrato por meio de sorteios mensais ou semanais. Outro benefício é o atrelamento de serviços que as empresas de capitalização fazem nos contratos, como reparos emergenciais na casa e o seguro contra danos.

Além disso, a contratação é muito simples e não precisa de comprovação de renda. Já a renovação do título ocorre automaticamente, e, caso não deseje isso, o inquilino recebe o dinheiro de volta com as correções monetárias.

  • CredPago

Com um novo formato para substituir fiadores através do uso do cartão de crédito, a CredPago e a Plano Imóveis vem abrindo possibilidades para aqueles que buscam o imóvel ideal.

A CredPago é a garantia locatícia mais inovadora do mercado. Surgiu para facilitar o processo de locação eliminando toda a burocracia e atuando de forma 100% online, onde o Cadastro do inquilino é analisado em até 15 minutos, não é necessário cópias e nem autenticações de documentos e o inquilino utiliza o cartão de crédito.

Quais são as vantagens das modalidades sem fiador?

Para o grupo de pessoas que prezam pela flexibilidade nos contratos de aluguel, ter muitas alternativas de garantias lhe dá mais segurança. Afinal, a escolha será norteada de acordo com as suas condições financeiras e outros aspectos considerados práticos.

E alugar sem fiador ainda cria uma oportunidade para que o proprietário fortaleça o vínculo de confiança com o inquilino. Uma vez que, ao oferecer diversas opções de garantias, o locador deixa nas mãos do locatário o poder de escolher o que é melhor para ele.

Até diante de uma crise financeira, as garantias podem ajudar. Caso o inquilino não consiga mais pagar os aluguéis, o seguro caução, por exemplo, pode cobrir os três últimos meses do período de morada.  O mesmo ocorre com os outros tipos de proteção.

Viu como o aluguel sem fiador é vantajoso? E, se estiver na dúvida entre comprar ou alugar um imóvel, entre em contato que te ajudaremos.

5 dicas de decoração para apartamento pequeno

Os imóveis compactos já se consolidaram como tendências, principalmente nas grandes cidades e áreas centrais. Com metragens que promovem um estilo de vida prático, ficam muito mais charmosos bem mobiliados. Inclusive, a decoração de apartamento pequeno vai além da questão estética, pois é capaz de agregar funcionalidade e conforto.

Confira, abaixo, essas dicas fundamentais!

1. Planeje cuidadosamente a disposição dos móveis

O planejamento joga a favor de quem mora em um compacto, no qual cada centímetro conta. Por isso, antes de comprar a mobília do apartamento novo, vale a pena refletir como ficará a disposição de cada peça no ambiente ao qual se destina.

Por exemplo, no lugar de um sofá enorme, disponha pufes para acomodar as visitas e compor a decoração. Ao invés de mesa fixa, disponha de uma bancada na parede pode cumprir as funções de acomodar as refeições e, em outros momentos, como suporte do notebook.

Fazer esse tipo de substituição assegura mais usabilidade e fluidez às atividades rotineiras.

2. Aposte no uso de espelhos decorativos

A utilização de espelhos desperta a sensação de amplitude, ilumina e confere um visual especial a qualquer parte do imóvel. No entanto, esse resultado depende da consideração de alguns critérios.

Um deles consiste em privilegiar os ambientes de maior circulação, como as áreas de convívio social, o corredor, entre outras possibilidades. Lembre-se, também, de jamais exagerar na quantidade de espelhos e sempre evitar que reflitam a luz de lâmpadas.

Além disso, nunca coloque um espelho na frente do outro, pois eles tendem a provocar sensações de confusão e desconforto ao serem posicionados dessa maneira.

3. Invista em mobília planejada e multiuso

Em metragens reduzidas, a organização é essencial para tirar o melhor proveito de cada espaço. Desse modo, os móveis planejados e multiuso são ótimos aliados de quem precisa valorizar cada metro quadrado.

Fortemente indicada na decoração de apartamento pequeno, tal mobília tem características úteis e funcionais. Nessa linha, estão as camas-armário, estantes com mesa, kits de cozinha embutidos e os painéis de TV com prateleiras.

Feitas na medida, essas mobílias conferem versatilidade e personalização aos ambientes sem comprometer o espaço. Com elas, você garante estilo à sua moradia e passa a ter lugares certos para guardar suas roupas, utensílios e objetos.

4. Escolha eletrodomésticos compatíveis com o seu espaço

Ao decidir quais eletrodomésticos levar para seu apartamento, busque itens pequenos e multifuncionais. Uma vez que esses elementos serão usados no dia a dia, atente-se à praticidade que oferecem às tarefas cotidianas.

Para conciliar a utilidade à economia de espaço, procure aparelhos com mais de uma função. Nessa vertente, estão as geladeiras com freezer, máquinas de lavar conjugadas à secadora, liquidificadores com função de processador, e por aí vai.

Se a sua moradia não conta com área de serviço e a cozinha é conjugada à sala, é muito importante se atentar à aparência das peças. Afinal, elas farão parte da decoração dos espaços de convívio. Por isso, capriche nas escolhas.

5. Abuse das cores claras

Assim como os espelhos, as cores claras na pintura do apartamento proporcionam a sensação de espaços amplos e iluminados. Esse efeito se deve à capacidade dos tons abertos refletirem as luzes, o que também promove impressões ligadas à leveza e harmonia.

Contudo, para escapar de visuais monocromáticos e sem graça, não se atenha ao branco puro e simples. Invista no tom sobre tom variando entre as nuances de modo a estabelecer a ideia de continuidade.

Outro jeito ótimo de quebrar a monotonia ao aplicar cores claras é usar tons mais vibrantes em uma das paredes. Dessa maneira, você estabelece contraste e afasta o risco de ter ambientes frios e monótonos.

Viu só como a decoração de apartamento pequeno tem soluções bastante simples?

8 razões para NUNCA alugar um imóvel sem uma imobiliária

Por diversos motivos, muitas vezes pode parecer tentador você tratar tudo direto com o proprietário do imóvel, sem envolver uma imobiliária. Porém, saiba que esta não é uma boa ideia. O barato acaba saindo caro e essa prática não é nada recomendável. Veja agora 8 razões para nunca alugar um imóvel sem uma imobiliária.

1. Dá margem para desgastes evitáveis

Discussões sobre reajuste de aluguel, responsabilidade de reformas e obras que o imóvel pode demandar, atrasos nos pagamentos, tudo que faz parte do relacionamento proprietário-inquilino, será intermediado por uma imobiliária e por isso as decisões e providências podem ser tomadas de forma mais tranquila e segura.

2. Pagamentos de condomínio e IPTU irregulares

Ao resolver alugar direto com o proprietário ou alugar o seu imóvel direto para o inquilino você fica a mercê da responsabilidade e comprometimento do outro em pagar o condomínio e IPTU do imóvel em dia. E se o inquilino não paga o condomínio? Você pode nem ficar sabendo e receber uma conta com multas exorbitantes depois. Para evitar esse tipo de transtorno o melhor é alugar junto a uma imobiliária, que ficará responsável por controlar estes pagamentos que podem ser de responsabilidade tanto do proprietário quanto do inquilino.

3. Você pode pagar um aluguel mais caro

Contar com uma imobiliária idônea também é vantajoso na hora de avaliar o valor pago pelo aluguel. Ao alugar direto com o proprietário você corre o risco de pagar um aluguel mais alto do que o real valor que o imóvel tem no mercado, porque há detalhes importantes sobre o imóvel que podem baixar ou aumentar o valor dele e o proprietário pode desconhecer sobre isso.

4. Condições do negócio não muito claras

Quando não existem contratos ou os contratos são produzidos por pessoas que não são qualificadas para isso, você corre o risco de acabar assinando contratos que não possuem todas as informações necessárias ou com informações não tão claras. Prazos, reajustes, multas, etc. Esse é o primeiro passo para que problemas e dores de cabeças aconteçam.

5. Poucas opções ou opções ruins

Uma imobiliária dispõe de muitas opções de imóveis para alugar em muitos bairros da cidade. Imóveis com variadas características e por isso você tem muitas opções, boas e ruins, pode comparar e decidir pelo melhor imóvel para você. Alugando com o proprietário você não tem muitas opções e às vezes tem apenas uma opção e precisa se adaptar a ela se decidir alugar com ele.

6. Sem garantias

Um contrato bem redigido e esclarecido proporciona garantias reais tanto para o proprietário quanto para o inquilino. No caso de alugar direto com o proprietário, este contrato pode não estar claro ou completo e por isso você não possui garantias quanto ao aluguel do imóvel. Correr este risco não vale nada a pena e você pode ser muito prejudicado por isso. Lembre-se, a imobiliária atende aos interesses de proprietários e inquilinos, fazendo a intermediação com equilíbrio e justiça.

7. Falta de agilidade na solução de problemas

Quando acontecer qualquer problema com o imóvel que você alugou a única pessoa que você pode recorrer é ao proprietário, se você alugar diretamente com ele. O proprietário pode ser uma pessoa bastante ocupada ou não dar muita importância para o problema do imóvel e por isso a resolução deste tipo de solicitação pode demorar bastante tempo.

Ao alugar diretamente, você corre o sério risco de ter que negociar com uma pessoa intransigente que não se dispõe a dialogar e buscar o bom senso.

8. Responsabilidades de manutenção Proprietário/Inquilino

Uma das questões mais complicadas entre proprietário e inquilino é definitivamente quem fica responsável pelas manutenções que sempre ocorrem no apartamento. Essas manutenções são inevitáveis mesmo em imóveis novos. A grande dúvida é: “Quem será responsável pelo conserto ou reparo do imóvel? Proprietário ou inquilino?”

As discussões e discordâncias entre proprietário e inquilino podem ser mais complicadas se não há uma imobiliária para mediar e acertar desde o princípio, em contrato formal, quem fica responsável pelo o que.

Depois de saber quais são as 8 razões para nunca alugar um imóvel sem uma imobiliária, você já deve ter entendido que alugar sem o auxílio de uma empresa não é uma boa ideia. Conte com a Plano para encontrar o melhor imóvel para alugar sem complicações, com segurança e transparência.

Patine

É a patine que dá alma aos objetos e às pessoas. A minha casa é velha e tem patine. Já sofreu obras mas a patine mantém-se.

A falta de dinheiro tem só essa vantagem: não proporciona remodelações megalômanas e irreconhecíveis… As casas remodeladas que visitei na minha rua estão absolutamente incríveis, mas perderam a alma que a minha ainda tem.

Por aqui, a remodelação e a decoração são, por todos os motivos, processos muito lentos e que incluem reaproveitamento. Os objetos, novos e velhos, andam à procura do seu lugar… por vezes durante anos.

De tantas imagens que procuro e guardo, acredito que o brainstorming vai acontecendo e que os salões vão ganhando, muito lentamente, sentido.

Vai demorar, mas quem tem pressa?Aprendi, no Alentejo, que a calma é uma importante virtude.

É verdade que, periodicamente, fico ansiosa com o facto das divisões estarem tão evidentemente inacabadas, especialmente o meu escritório, mas sei que a impaciência é um dos meus piores defeitos.

Patine – do francês patine, do italiano patina
camada que recobre algo, velatura; coloração natural ou conjunto de resíduos 
ou depósitos que, num objecto ou num imóvel mostram a marca do tempo
e do envelhecimento.

in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

Todas as imagens são do blog HWTF.

Fonte:  Ana Cabete
Frasco de Memórias