5 dicas de decoração para apartamento pequeno

Os imóveis compactos já se consolidaram como tendências, principalmente nas grandes cidades e áreas centrais. Com metragens que promovem um estilo de vida prático, ficam muito mais charmosos bem mobiliados. Inclusive, a decoração de apartamento pequeno vai além da questão estética, pois é capaz de agregar funcionalidade e conforto.

Confira, abaixo, essas dicas fundamentais!

1. Planeje cuidadosamente a disposição dos móveis

O planejamento joga a favor de quem mora em um compacto, no qual cada centímetro conta. Por isso, antes de comprar a mobília do apartamento novo, vale a pena refletir como ficará a disposição de cada peça no ambiente ao qual se destina.

Por exemplo, no lugar de um sofá enorme, disponha pufes para acomodar as visitas e compor a decoração. Ao invés de mesa fixa, disponha de uma bancada na parede pode cumprir as funções de acomodar as refeições e, em outros momentos, como suporte do notebook.

Fazer esse tipo de substituição assegura mais usabilidade e fluidez às atividades rotineiras.

2. Aposte no uso de espelhos decorativos

A utilização de espelhos desperta a sensação de amplitude, ilumina e confere um visual especial a qualquer parte do imóvel. No entanto, esse resultado depende da consideração de alguns critérios.

Um deles consiste em privilegiar os ambientes de maior circulação, como as áreas de convívio social, o corredor, entre outras possibilidades. Lembre-se, também, de jamais exagerar na quantidade de espelhos e sempre evitar que reflitam a luz de lâmpadas.

Além disso, nunca coloque um espelho na frente do outro, pois eles tendem a provocar sensações de confusão e desconforto ao serem posicionados dessa maneira.

3. Invista em mobília planejada e multiuso

Em metragens reduzidas, a organização é essencial para tirar o melhor proveito de cada espaço. Desse modo, os móveis planejados e multiuso são ótimos aliados de quem precisa valorizar cada metro quadrado.

Fortemente indicada na decoração de apartamento pequeno, tal mobília tem características úteis e funcionais. Nessa linha, estão as camas-armário, estantes com mesa, kits de cozinha embutidos e os painéis de TV com prateleiras.

Feitas na medida, essas mobílias conferem versatilidade e personalização aos ambientes sem comprometer o espaço. Com elas, você garante estilo à sua moradia e passa a ter lugares certos para guardar suas roupas, utensílios e objetos.

4. Escolha eletrodomésticos compatíveis com o seu espaço

Ao decidir quais eletrodomésticos levar para seu apartamento, busque itens pequenos e multifuncionais. Uma vez que esses elementos serão usados no dia a dia, atente-se à praticidade que oferecem às tarefas cotidianas.

Para conciliar a utilidade à economia de espaço, procure aparelhos com mais de uma função. Nessa vertente, estão as geladeiras com freezer, máquinas de lavar conjugadas à secadora, liquidificadores com função de processador, e por aí vai.

Se a sua moradia não conta com área de serviço e a cozinha é conjugada à sala, é muito importante se atentar à aparência das peças. Afinal, elas farão parte da decoração dos espaços de convívio. Por isso, capriche nas escolhas.

5. Abuse das cores claras

Assim como os espelhos, as cores claras na pintura do apartamento proporcionam a sensação de espaços amplos e iluminados. Esse efeito se deve à capacidade dos tons abertos refletirem as luzes, o que também promove impressões ligadas à leveza e harmonia.

Contudo, para escapar de visuais monocromáticos e sem graça, não se atenha ao branco puro e simples. Invista no tom sobre tom variando entre as nuances de modo a estabelecer a ideia de continuidade.

Outro jeito ótimo de quebrar a monotonia ao aplicar cores claras é usar tons mais vibrantes em uma das paredes. Dessa maneira, você estabelece contraste e afasta o risco de ter ambientes frios e monótonos.

Viu só como a decoração de apartamento pequeno tem soluções bastante simples?

8 razões para NUNCA alugar um imóvel sem uma imobiliária

Por diversos motivos, muitas vezes pode parecer tentador você tratar tudo direto com o proprietário do imóvel, sem envolver uma imobiliária. Porém, saiba que esta não é uma boa ideia. O barato acaba saindo caro e essa prática não é nada recomendável. Veja agora 8 razões para nunca alugar um imóvel sem uma imobiliária.

1. Dá margem para desgastes evitáveis

Discussões sobre reajuste de aluguel, responsabilidade de reformas e obras que o imóvel pode demandar, atrasos nos pagamentos, tudo que faz parte do relacionamento proprietário-inquilino, será intermediado por uma imobiliária e por isso as decisões e providências podem ser tomadas de forma mais tranquila e segura.

2. Pagamentos de condomínio e IPTU irregulares

Ao resolver alugar direto com o proprietário ou alugar o seu imóvel direto para o inquilino você fica a mercê da responsabilidade e comprometimento do outro em pagar o condomínio e IPTU do imóvel em dia. E se o inquilino não paga o condomínio? Você pode nem ficar sabendo e receber uma conta com multas exorbitantes depois. Para evitar esse tipo de transtorno o melhor é alugar junto a uma imobiliária, que ficará responsável por controlar estes pagamentos que podem ser de responsabilidade tanto do proprietário quanto do inquilino.

3. Você pode pagar um aluguel mais caro

Contar com uma imobiliária idônea também é vantajoso na hora de avaliar o valor pago pelo aluguel. Ao alugar direto com o proprietário você corre o risco de pagar um aluguel mais alto do que o real valor que o imóvel tem no mercado, porque há detalhes importantes sobre o imóvel que podem baixar ou aumentar o valor dele e o proprietário pode desconhecer sobre isso.

4. Condições do negócio não muito claras

Quando não existem contratos ou os contratos são produzidos por pessoas que não são qualificadas para isso, você corre o risco de acabar assinando contratos que não possuem todas as informações necessárias ou com informações não tão claras. Prazos, reajustes, multas, etc. Esse é o primeiro passo para que problemas e dores de cabeças aconteçam.

5. Poucas opções ou opções ruins

Uma imobiliária dispõe de muitas opções de imóveis para alugar em muitos bairros da cidade. Imóveis com variadas características e por isso você tem muitas opções, boas e ruins, pode comparar e decidir pelo melhor imóvel para você. Alugando com o proprietário você não tem muitas opções e às vezes tem apenas uma opção e precisa se adaptar a ela se decidir alugar com ele.

6. Sem garantias

Um contrato bem redigido e esclarecido proporciona garantias reais tanto para o proprietário quanto para o inquilino. No caso de alugar direto com o proprietário, este contrato pode não estar claro ou completo e por isso você não possui garantias quanto ao aluguel do imóvel. Correr este risco não vale nada a pena e você pode ser muito prejudicado por isso. Lembre-se, a imobiliária atende aos interesses de proprietários e inquilinos, fazendo a intermediação com equilíbrio e justiça.

7. Falta de agilidade na solução de problemas

Quando acontecer qualquer problema com o imóvel que você alugou a única pessoa que você pode recorrer é ao proprietário, se você alugar diretamente com ele. O proprietário pode ser uma pessoa bastante ocupada ou não dar muita importância para o problema do imóvel e por isso a resolução deste tipo de solicitação pode demorar bastante tempo.

Ao alugar diretamente, você corre o sério risco de ter que negociar com uma pessoa intransigente que não se dispõe a dialogar e buscar o bom senso.

8. Responsabilidades de manutenção Proprietário/Inquilino

Uma das questões mais complicadas entre proprietário e inquilino é definitivamente quem fica responsável pelas manutenções que sempre ocorrem no apartamento. Essas manutenções são inevitáveis mesmo em imóveis novos. A grande dúvida é: “Quem será responsável pelo conserto ou reparo do imóvel? Proprietário ou inquilino?”

As discussões e discordâncias entre proprietário e inquilino podem ser mais complicadas se não há uma imobiliária para mediar e acertar desde o princípio, em contrato formal, quem fica responsável pelo o que.

Depois de saber quais são as 8 razões para nunca alugar um imóvel sem uma imobiliária, você já deve ter entendido que alugar sem o auxílio de uma empresa não é uma boa ideia. Conte com a Plano para encontrar o melhor imóvel para alugar sem complicações, com segurança e transparência.

Patine

É a patine que dá alma aos objetos e às pessoas. A minha casa é velha e tem patine. Já sofreu obras mas a patine mantém-se.

A falta de dinheiro tem só essa vantagem: não proporciona remodelações megalômanas e irreconhecíveis… As casas remodeladas que visitei na minha rua estão absolutamente incríveis, mas perderam a alma que a minha ainda tem.

Por aqui, a remodelação e a decoração são, por todos os motivos, processos muito lentos e que incluem reaproveitamento. Os objetos, novos e velhos, andam à procura do seu lugar… por vezes durante anos.

De tantas imagens que procuro e guardo, acredito que o brainstorming vai acontecendo e que os salões vão ganhando, muito lentamente, sentido.

Vai demorar, mas quem tem pressa?Aprendi, no Alentejo, que a calma é uma importante virtude.

É verdade que, periodicamente, fico ansiosa com o facto das divisões estarem tão evidentemente inacabadas, especialmente o meu escritório, mas sei que a impaciência é um dos meus piores defeitos.

Patine – do francês patine, do italiano patina
camada que recobre algo, velatura; coloração natural ou conjunto de resíduos 
ou depósitos que, num objecto ou num imóvel mostram a marca do tempo
e do envelhecimento.

in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

Todas as imagens são do blog HWTF.

Fonte:  Ana Cabete
Frasco de Memórias

5 dicas para quem vai comprar um imóvel

É importante ter planejamento na hora de comprar um imóvel.

É necessário se organizar e pensar muito antes, pois essa atitude pode causar impactos em diversos setores da vida de uma pessoa, familiar e principalmente financeiro. Por esse motivo separamos 05 dicas para quem vai adquirir um imóvel.

Não deixe que a emoção de realizar esse sonho te cegue com os cuidados de uma transição comercial tão importante. Vamos ás dicas!

  • Onde vou morar

Para começar, é necessário decidir em qual região se pretende morar e os bairros que farão parte da nossa pesquisa. Algumas perguntas devem ser feitas nesse momento: Este imóvel atende minhas necessidades de vida e meu projeto familiar? Qual facilidade essa região pode trazer pra minha vida: principais vias de acesso, serviços disponíveis, dentre outros.

  • Escolha um especialista que siga com você sua jornada

Obviamente vários consultores irão entrar em contato com você e se disponibilizar para o atendimento, nesse caso, é importante que você escolha um especialista e siga sua jornada com esse profissional. Vocês vão criar um relacionamento de confiança e ele irá entender seus desejos e solucionar seu problema finalizando então na aquisição do seu imóvel.

  • Programe-se para comprar

Faça as contas e pense na melhor forma. Se pretende fazer um financiamento, procure pessoas capacidades para verificar qual a sua melhor opção (nós da Hypólito Imóveis temos um profissional especialista em financiamento imobiliário). Veja a possibilidade de usar recursos do seu FGTS. Caso disponha de uma boa reserva financeira – ou algum bem que possa ser vendido, como carro ou outro imóvel, verifique a possibilidade de uma permuta com torna financeira, ou seja, utilizar este bem como parte de pagamento.

  • Pesquise sem pressa

Por mais que o seu desejo de ter o seu imóvel seja urgente, é preciso ter paciência e calma. Hoje, o mercado está com várias boas oportunidades e uma pesquisa qualificada te dará a chance de encontrar o melhor negócio que se adeque ao seu perfil.

Para isso, é fundamental contar com a consultoria de um profissional qualificado e preparado para atuar no mercado imobiliário. Procure optar por um especialista na região onde você deseja adquirir o imóvel, pois ele conhecerá bem os imóveis ofertados daquela região e os benefícios existentes nas redondezas do imóvel.

  • Não tenha medo de perguntar o que não sabe

A primeira regra ao coletar informação é: Não tenha receio de admitir que você não sabe tudo, pois pode estar errado. Converse com o especialista que está te acompanhando nessa jornada, questione sobre aquilo que não entender e exija respostas claras e precisas pois ele esclarecerá todas as suas dúvidas.

Não há como negar, a compra de um imóvel é um passo muito importante na vida de qualquer pessoa, por isso tem que ser planejado. Isso é o ideal para evitar decepções e transtornos futuros, fazendo com que esta realização seja um verdadeiro sucesso!

Fonte: https://blogdohypolito.wordpress.com/
Ariane Letícia – especialista responsável pelo sucesso do cliente da Hypólito Imóveis.

5 dicas para viver melhor no imóvel alugado

É cada vez mais comum que pessoas optem por viver de aluguel ao invés de comprar um imóvel. Os motivos para essa decisão são os mais diversos: a mobilidade oferecida pelo aluguel, a consciência sobre os juros dos financiamentos, a preferência em investir o dinheiro ao invés de colocá-lo todo em um imóvel.

Nós sabemos que viver de aluguel, embora tenha suas indiscutíveis vantagens, também apresenta dificuldades. Por isso apresentaremos 5 dicas para tornar essa experiência o melhor que ela pode ser!

1- Escolha uma boa imobiliária

Foto por David McBee em Pexels.com

Embora nos preocupemos muito com o imóvel a ser alugado, a escolha da imobiliária pode causar ou poupar inúmeras dores de cabeça no futuro. Como em todos os segmentos, algumas empresas pensam apenas no lucro e esquecem de prestar o devido serviço a ambas as partes – locador e locatário. Vemos muitas imobiliárias que têm como preocupação principal tirar o máximo de dinheiro do inquilino e poupar o proprietário do imóvel de qualquer despesa.

Por isso, comece sua pesquisa pela imobiliária: converse com conhecidos, peça referência e as siga! Procure uma imobiliária que cuide dos locatários como cuida dos locadores, que preste assistência e esteja sempre aberta a conversar com o proprietário e chegar a uma solução em comum.

2- Escolha um bom proprietário

Foto por Anete Lusina em Pexels.com

Talvez tão importante quanto escolher a imobiliária é alugar um imóvel de quem quer, de fato, alugar. Muitas vezes nos interessamos por um imóvel que requer algumas benfeitorias mas o proprietário se recusa em fazê-las. Se esse for o caso daquele apartamento no qual você está de olho, dê o fora.

Um bom locador é aquele que vê o imóvel como investimento e não com apego. Por isso, se ele se recusa a fazer melhorias básicas, como colocar box no banheiro ou trocar o carpete (que provavelmente não tem menos de 20 anos), é sinal de que fará corpo mole quando o imóvel precisar de um reparo.

Pergunte ao corretor a situação do locador, se ele tem mais imóveis, se já morou no imóvel ou tem intenção de morar. Já vimos absurdos como proprietários que se negavam a instalar armários nos banheiros porque queriam morar lá no futuro e não queriam usar os móveis desgastados.

Também fuja dos imóveis com mais de um proprietário, em que duas ou mais pessoas precisam entrar em acordo antes de realizar qualquer gasto. Procure locadores que aceitem negociar preço, realizar as benfeitorias necessárias e que priorizem ter o apartamento locado o maior tempo possível.

Ah, e nem precisamos falar sobre imóveis alugados direto com o proprietário, né? Se você prioriza sua saúde mental, fique longe deles!

3- Decore

Foto por Skitterphoto em Pexels.com

Muitas vezes temos receio em investir na decoração de um imóvel alugado, pois não sabemos por quanto tempo continuaremos ali. Por outro lado, financeiramente (e psicologicamente) sentimos o maior benefício de alugar um imóvel quando ficamos bastante tempo nele; por isso, assim como não faz sentido gastar muito dinheiro em decoração que não conseguiremos carregar, também não é nada bom vivermos infelizes com o nosso ambiente.

Assim, é preciso aceitar que algum dinheiro deve sim ser gasto na decoração do imóvel alugado, a fim de nos sentirmos satisfeitos e vivermos lá pelo máximo de tempo (já que o desejo de se mudar ao término de cada contrato só vai gastar o seu dinheiro e prejudicar sua saúde mental).

O segredo para decorar imóveis alugados é gastar pouco e em itens “removíveis”, que possam ser transportados depois. O DIYé uma ótima forma de tornar o seu imóvel alugado num local mais agradável de se viver. Você encontra facilmente muitas dicas pela internet! Vá fundo, pesquise e transforme seu imóvel alugado num local lindo!

4- Encontre soluções

Foto por Lisa Fotios em Pexels.com

É verdade que, além da decoração, não podemos investir muito em itens funcionais que às vezes nos fazem muita falta. Isso não significa, porém, que nada possa ser feito. O importante é ter em mente o mesmo que apontamos para a decoração: peças removíveis que possam ser transportadas. Assim, se faltam armários na cozinha, podemos improvisar com prateleiras ou até mesmo uma estante que em outro imóvel servia para livros.

Nosso dia a dia exige praticidade e recursos que nos poupem tempo, então não deixe de lado as suas necessidades. Improvise, reutilize móveis de outros cômodos e se jogue no DIY e na nossa conhecida “gambiarra” para que a frustração com uma atividade do dia a dia não se torne motivo para se mudar logo. Se for preciso, aposte em móveis modulares que poderão ir embora com você no futuro, mas não fique sofrendo com a falta de recursos básicos para atividades corriqueiras.

5- Construa boas relações

Foto por rawpixel.com em Pexels.com

No final das contas, temos que nos lembrar de que estamos vivendo em um imóvel que pertence a outra pessoa e precisamos respeitá-lo. Construir uma boa relação com proprietário e imobiliária é fundamental e será recompensado com o passar dos anos, por isso não seja aquele tipo de inquilino que acha que tem direito a tudo. Não brigue por pequenos reparos, ainda que você ache que o proprietário é quem deve pagar.

Arrumar o chuveiro você mesmo ao invés de brigar por isso pode te permitir uma renegociação muito melhor ao término do contrato, já que você será visto como um ótimo inquilino. Não queira ganhar sempre e deixe para entrar em contato com a imobiliária quando você tiver um problema real nas mãos. Isso te fará ser muito querido(a) por todos e ter suas necessidades atendidas de forma muito mais eficaz.

Além disso, não se apegue ao imóvel alugado a ponto de não aceitar sair dele, mas, enquanto você estiver lá, trate-o como seu lar. Por isso, invista como puder em objetos que possam ser levados embora, mas que contem um pedaço da sua história de vida. Mantenha o imóvel bem cuidado, bonito e invista em soluções práticas para que o seu dia a dia lá seja o melhor possível. Morar de aluguel não precisa ser um sofrimento; pode ser um ato de liberdade, de alguém que está aberto a possibilidades, mas que não deixa de viver o momento presente e de ser feliz agora, onde está.

Gostou desse post? Curta, compartilhe e deixe sua dica nos comentários!

Fonte: Carolina Stratico Sant Ana
Blog: Consumo de Valor